EDITORIAL


Quando eu me poupe a falar,
Aperta-me a garganta e obriga-me a gritar!
José Régio


Aqui o "Acordo Ortográfico" vale ZERO!
Reparos ou sugestões são bem aceites mas devem ser apresentadas pessoalmente ao autor.

20160503

A Pedido de Várias Famílias



Sim! a pedido de várias famílias a quem o ruído incomoda ou receiam danos nas suas viaturas e ainda por todos aqueles que desejam que a "Rua da Ponte de Pau". receba a mesma atenção que a "Praça da República" (Rossio), aqui ficam algumas imagens do dispendioso "Funicular de Viseu" e estado do pavimento que deveria envergonhar quem apregoa, aos sete ventos que Viseu [vai ser] "A melhor cidade para viver"...
P.S. : A promessa é para cumprir em 10 anos, a contar de Outubro 2013.

"Ecopista" Inovadora e Única


Samuel Úria – “Dou-me Corda”


“Dou-me Corda” vídeo de Filipe Cunha Monteiro para “Carga de Ombro”, o novo disco do tondelense Samuel Úria

Grafitti em Tondela


Faça os seus Gifs em MakeaGif

Grafitti (stencil) encontrado em Tondela

20160502

Bankrupt - "Happy Birthday"

.

"Happy Birthday" vídeo com imagens retiradas de filmes do notório realizador norte-americano Russ Meyer, para servir de amostra ao álbum "Outsiders"  dos húngaros Bankrupt 

A Desastrada Iluminação da Cava



Depois de terem reprogramado o interruptor horário que controla o funcionamento da versão 2.1 do "(...)desenho de luz muito especial [da estátua de Viriato], para dar as boas-vindas a todos os visitantes."(...), está na hora de executarem a mesma complicada tarefa, relativamente à iluminação decorativa existente sobre a "Cava de Viriato" que começa a funcionar várias horas antes do anoitecer. Claro que os vários pontos de luz vandalizados e foram tapados/escondidos com latas não consomem energia e apenas dão mau aspecto ao monumento. Porém atenção porque os vidros que protegem as lâmpadas podem atingir, em noites quentes naturalmente, temperaturas elevadas e causar queimaduras na pele se forem tocadas. Por esse motivo os vidros do holofotes possuem minúsculas inscrições para prevenir as corujas.

Quelle Dead Gazelle - “Pedra-Pomes”


“Pedra-Pomes” vídeo realizado por Ricardo Gama e Luís Sobreir é o primeiro single de "Maus Lençóis", o álbum de estreia dos lisboetas Quelle Dead Gazelle (Pedro Ferreira - guitarra e Miguel Abelaira - percurssão) a editar no próximo dia 13 de Maio.
“Entre o Serengueti, Chicago e Lisboa há uma planície enorme. Ampla, com um horizonte a perder de vista. Nessa planície corre uma gazela." (Quim Albergaria)  E também existem os "Passadiços do Pavia".

Vizeu, 2 de Maio de 1834


Gif via GIPHY

No dia 2 de Maio de 1834, era grande a agitação na cidade de Vizeu, porque dizia-se que estava a chegar o Duque da Terceira, e com elle a liberdade constitucional. Com effeito, pelas 5 horas da tarde do mesmo dia, via-se um enorme concurso de povo estacionado na Ribeira. Notava-se em todos os rostos a maior anciedade pela chegada dos constitucionaes, pois que alli se achavam paes, filhos, e esposas, que desejavam vêr e abraçar os entes queridos que a guerra lhes trazia longe há dois annos. Por isso todos os olhares convergiam sobre os montes Castro, fronteiros a Abravezes, esperando a cada momento verem desembocar por as suas gargantas os victorioso soldados.
De subito um immenso brado de alegria rompeu de todas as boccas. Ao longe, no cume dos montes, via-se uma massa escura que tendia a crescer mais e mais.
Eram elles, eram os constitucionaes. Tudo correu ao seu encontro. Nos templos da cidade, repicavam festivamente os sinos, e sentia-se o estourar de numerosos foguetes.
A festa era enorme, echoando por assim dizer em todos os peitos. E com razão, porque Vizeu, que foi uma das cidades que mais tributo prestou á causa constitucional, gemia esmagada pelo absolutismo, e por isso anhelava a hora da liberdade, como arabe anhela a breve passagem do deserto.
A divisão já se via perto.
A´frente cavalgava o Duque da Terceira radiante de gloria e alegria. A banda da divisão tocava o hymno Constitucional.
E aquelles soldados cobertos de pó, cheios de cançaço, tinham todavia a força necessária para gritarem com o maior enthusiasmo: - Viva a Carta Constitucional! Viva D. Pedro IV!-
E´que adiante, muito perto já, descortinava-se Vizeu, a querida patria, o lar, a familia que não tinham visto ha dois anos. Por isso é que os fortes corações d’aquelles intrepidos, guerreiros se commoviam, sentindo correr as lagrimas de jubilo pelas faces tisnadas e denegridas pelo fumo e fragor das batalhas.
O quadro era comovente. A multidão que chegava corria a estreitar-se nos braços que lhe abria a multidão que esperava.
Os detalhes d´esta grandiosa scena eram puramente dramaticos.
Aqui via-se um velho alquebrado pelos annos, dizendo com a expressão de quem acha uma coisa que julgava perdida: - E´s tu, meu filho?...- e depois qual outro Semeão:- Agora poderei morrer em paz, Senhor !-
E o hymno da Carta echoava dulcissimamente em todos os corações como que dizendo-lhes:- Partiram-se as algemas Sois livres!- De facto, d’esse dia a esta parte ficou estabelecido em Vizeu, o systema constitucional.
Por isso é que o dia 2 de Maio é de festa para Vizeu porque celebra este fausto acontecimento.

Vizeu.
JOSÉ DE ALMEIDA E SILVA
In, “Album de Vizeu” - Typographia Universal, Rua do Almada, 347, Porto - 1884

"A Praça 2 de Maio"

"Inaugurado em 1879, como 'Praça 2 de Maio', este foi o mercado de Viseu durante mais de 100 anos. Um espaço marcado pelo cunho da História e das memórias. “2 de Maio” evoca o ano de 1834 e assinala um acontecimento marcante para Viseu nessa data: a entrada vitoriosa das tropas comandadas pelo 1º Duque da Terceira, após a derrota dos miguelistas. Depois disso, e ainda hoje, é o “mercado” para os viseenses. Tendo deixado de funcionar como tal no ano de 1990, este espaço nobre do centro histórico foi requalificado com a assinatura do Arq. Álvaro Siza Vieira em 2002 e é, hoje, um ex-libris da cidade.
Maio de 2014"

Conteúdo de placa colocada pelo actual executivo municipal a que preside o Dr. Almeida Henriques, que pretende cobrir o espaço da antiga praça para nele poder realizar, durante todo o ano, os mais variados eventos.

20160501

What A Funk?! - "Draw It On the Wall"


"Draw It On the Wall" vídeo de Stefano Bertelli  de "SeenFilm" para tema do novo álbum "This is an Album!" dos norte-americanos (L.A.) What A Funk?! 

20160430

CD Tondela vs Rio Ave FC, 1-1



Esta tarde no "Estádio José Cardoso", na vizinha cidade de Tondela, o representante da Associação de Futebol de Viseu na "I Liga de Futebol Profissional" não conseguiu a tão desejada vitória, frente ao "Rio Ave" que permitiria almejar a manutenção. Com o técnico Petit na bancada, os homens das "Terras de Besteiros". cedo começaram a assediar a baliza adversária. Mas o árbitro da partida, Bruno Esteves, aos 18 minutos de jogo decidiu ajudar os vilacondenses, hoje a vestir de vermelho, e numa decisão demasiado severa mostrou o cartão vermelho directo, a Bruno Monteiro que foi imprudente. Este facto veio dificultar ainda mais a tarefa dos auri-verdes que foram sempre muito apoiados pelos seus adeptos e sobretudo pela "Febre Amarela". Apesar de jogar em inferioridade numérica e já com o irrequieto Helder Postiga em campo, a partir do minuto 34 minutos, para reforçar o ataque e tirar partido da superioridade numérica, foi a equipa da casa quem marcou primeiro, por intermédio de Wagner aos 40. Mas na segunda parte aos 52 minutos, o internacional Helder Postiga marcou para os visitantes. Seguiu-se um período de assédio à baliza de Cláudio Ramos que com várias defesas de grau de dificuldade elevada, não permitiu que a sua baliza fosse violada. Cássio também passou por vários apertos mas a inferioridade numérica dos tondelenses, foi-se acentuando cada vez mais e não possibilitou dar o melhor seguimento aos contra-ataques sucessivos. Naturalmente este resultado não foi bom para ambas as equipas, se os da casa pretendiam somar os três pontos para fugir do último lugar, os visitantes entraram em campo para tentar alcançar um lugar na "Liga Europa" e beneficiou o Paços de Ferreira. A arbitragem teve vários erros que poderiam ter tido influência no resultado, em prejuízo dos beirões.

Novidades no "Campo de Viriato"



Pouco passava das 13h00 quando vislumbrei uma viatura e um homem a rondar a placa informativa da "Intervenção no Espaço Público da Feira de São Mateus - 2016 - Pavimentação e Iluminação Pública",  que foi colocada junto à "Porta de Viriato". Fui ver de perto e reparei que um trabalhador, certamente da empresa adjudicatária, dos trabalhos estava a pintar com uma lata de "spray" os suportes da tabuleta. Não me pareceu ser o mais indicado mas a secagem seria rápida... Ao final da tarde voltei a passar no "Campo de Viriato" e confimei que a iluminação decorativa do "Monumento a VIriato", continua a funcionar como se ainda fosse Inverno e os relógios não tivessem sido acertados para a hora de Verão. É certo que a iluminação utiliza a tecnologia "LED" mas, não deixa de ser uma prova de desleixo e desperdício. Quando me dirigia à "Cava de Viriato" reparei que a tampa da lata de tinta ficou a enfeitar a calçada e fiquei a saber o preço - "€ 5,85". Mas a tinta não foi suficiente e os suportes da outra placa, existente no terreiro fronteiro ao multiusos que está ser empedrado, foram apenas parcialmente pintados porque a tinta se acabou. Alguém acredita que a lata vazia tenha ido para o contentor amarelo?

20160429

Os Azeitonas – “Cinegirasol”


“Cinegirasol” vídeo com argumento de Nuno Markl, realização de Bruno Caetano e Rui Telmo Romão para os Azeitonas. Este é o primeiro tema original a ser apresentado pela banda do Porto, desde 2013 quando editaram o álbum “AZ”.

500.000 Euros para a Feira?



Finalmente e depois de as obras terem sido iniciadas no passado dia 20, duas placas contendo informações sobre a "Intervenção no Espaço Público da Feira de São Mateus - 2016 - Pavimentação e Iluminação Pública", adjudicada por 269.778,55 € + IVA, foram colocadas junto à "Rotunda do Viriato" e outra no terreiro fronteiro ao multiusos, junto da via do "Funicular de Viseu". Os trabalhos de colocação do novo pavimento, em paralelos de granito, estão a avançar em bom ritmo e também reparei que junto ao rio, numa área da "Parque Linear do Rio Pavia" que foi vedada estão a ser abertos caboucos para edificar muito provavelmente instalações sanitárias.
Acontece que o presidente da câmara, Dr, Almeida Henriques, anunciou um investimento de 500.000 € e apenas duas instalações sanitárias, a construir de raiz no "Campo de Viriato" e os trabalhos em curso estão a ser efectuados apenas na antiga "Quinta do Padre Costa". Também foram anunciadas restrições no estacionamento no recinto da feira anual. Afinal em que ficamos? haverá outra empreitada?

Igreja de São Miguel do Fetal



O edifício da actual Igreja de São Miguel do Fetal foi edificado no século XVIII mas a construção primitiva remontava ao período da baixa idade média, sendo mesmo muito anterior à nacionalidade. Durante a ocupação muçulmana de Viseu (981 a 1058) terá sido nesse local permitido aos cristãos celebrar o seu culto e mais tarde temporariamente, por não ser possível o culto em edifício localizado no interior do castelo ou da velha muralha romana, por motivo de obras de reconstrução ou profanação pelos mouros, a modesta ermida por doação em 1110 do conde D. Henrique de Borgonha, serviu como Sé. Localizada fora dos muros e escondida entre matos e fetos terá escapado à destruição pelos invasores. D. Henrique e sua esposa, a condessa D. Teresa que viria a usar o título de rainha, deram início à construção da actual Sé, dentro da velha fortaleza romana, junto dos antigos paços dos reis de Oviedo, cidade onde bispos de Viseu encontraram refúgio.
Uma antiga lenda diz que em São Miguel do Fetal teriam repousado os restos mortais do último rei godo, o rei Rodrigo, que na ermida terminou os seus dias como penitente incógnito. Existindo mesmo uma arca tumular do séc. XVIII, com a seguinte inscrição:

“HIC JACET, AUT JACUIT POSTRE-
MUS IN ORDINE REGUM
GOTTORUM, UT NOBIS NUNTIA
FAMA REFERT.”

“Aqui jaz ou jazeu o último rei dos godos, segundo diz a tradição”

D. Rodrigo terá sido morto na batalha de Guadalete (711) e o seu corpo não foi encontrado, facto que originou diversas lendas, como viria a suceder com o jovem rei D. Sebastião. Nas traseiras do altar-mor existe um arco de volta inteira que a tradição afirma ter pertencido a edificação anterior.
A construção da nova igreja teve o seu início em 1719, durante o bispado de D. Jerónimo Soares (1694-1720), porque a anterior ameaçava ruína e já estava escorada. Por morte do bispo D. Jerónimo as obras cessaram. Seguiu-se um período de vinte anos durante o qual o cabido governou a diocese e fez inúmeras obras, incluindo a de São Miguel que foi finalizada em 1735. A nomeação de novo bispo, D. Júlio Francisco de Oliveira apenas ocorreu em 1740. Sabe-se que em 1855 a igreja encontrava-se novamente abandonada e bastante maltratada, porque em 1808 deixou ser igreja paroquial. Foi a irmandade do Senhor dos Passos que estava sedeada na Capela da Cruz, no claustro da Sé quem a recebeu do bispo D. José Joaquim de Azevedo e Moura (1845-1856),  ocupou e tem conservado até aos nossos dias.
A construção tem características de matriz maneirista, com remate de fachada e janelas de frontão triangular, nos vértices da cobertura possui pináculos piramidais e esferas. No interior existe um retábulo barroco joanino, datado de 1752, em branco e dourado, e dois retábulos laterais maneiristas um dos quais possui uma bela imagem de São Miguel a espezinhar o demónio. Na fachada principal, ladeando o portal, existem estas duas inscrições.

“HAC MICHAEL PRINCEPS COELESTIS IN
AEDE PATRONUS,
HUMANUM A PRISCO PROTE-
GIT HOSTE GENUS.

DUX QUIA SUPREMUS COELI QUE
NINISTER HABETUR,
MISSILIS HASTA DECET, PENDULA
LIBRA MANUS”

*

“QUO POSSUIT VETEREM PRIOR URBE
PAROECIA SEDEM
HOC FACTUM EST TEMPLU, SE-
DE VACANTE NOVUM

ANNOS MILLE SUPRA NUME-
RANTUR SAECULA SEPTEM
LUSTRA QUE, CUM SEDES CONDERE
JUSSIT OPUS,”

“Miguel, principe celeste, orago d’este templo, defende o genero humano do antigo inimigo. Porque é tido como general supremo e ministro do ceu, convem-lhe a arremeçadora lança e a mão com a balança pendente. Este novo templo foi edificado em sé vaga, onde a primeira parochia de Viseu teve a sua antiga sede. Contavam-se sete seculos e sete lustros sobre mil anos, quando o cabido mandou fazer esta obra.”

Fonte principal e epigrafia:  “PORTUGAL ANTIGO E MODERNO, DICCIONARIO...” de Augusto Soares de Azevedo Barbosa de Pinho Leal, continuado por Pedro Augusto Ferreira. Lisboa, Livraria Editora de Tavares Cardoso & Irmão, 5 - Largo de Camões – 6, 1890.

"Viseu City Race"

"A edição do Viseu City Race de 2016 está marcada para os dias 28 e 29 de Maio. Sábado, prova no Parque Florestal do Fontelo. Domingo, City Race na cidade de Viseu com partidas junto à Praça 2 de Maio. Saber + e inscrições

Lavar o cu com Água de Malvas


Gif via GIPHY

Lavar o cu com Água de Malvas e não só...
As malvas podem ser usadas para fazer infusões (chás) fervendo duas folhas, por chávena de água obterá uma bebida calmante e eficaz no tratamento de problemas da garganta e sistema digestivo. A "Água de malvas", obtida fervendo dez folhas num litro de água durante dez minutos, é um remédio caseiro de uso externo, utilizado na lavagem dos olhos, pele inflamada, feridas, eczemas, nas assaduras das fraldas e na higiene íntima. Também poderá fazer sopa, simplesmente juntando as folhas com outros vegetais, as flores também podem ser consumidas frescas ou usadas na decoração de pratos. [saber +]
Nunca utilize plantas silvestres como remédio ou na alimentação se não tiver bons conhecimentos ou acompanhamento de pessoa conhecedora.

20160428

Charanga - "Carta de um Emigrante"


"Carta de um Emigrante" vídeo de Luís Fernandes para servir de amostra ao segundo LP "Tribut'ó Ti Tobias", com lançamento previsto para o mês Maio, dos Charanga que acabam de lançar um 3 em 1: novo teledisco, novo single e campanha de financiamento do novo álbum. Os Charangas de Freixo-de -Espada-à-Cinta, são Francisco Gedeão, Quim Ezequiel, Alberto Baltazar, Zé Inácio e Marta Baqueiro.

20160427

Pavilhão Desportivo do Fontelo



Na edição de ontem do “Diário de Viseu” uma pequena notícia assinada por “JF” tinha como título: “Pavilhão desportivo do Fontelo estará em pleno esta semana.”
O problema originado com condensações provocadas pela desadequada escolha do material usado na cobertura e que pouco depois da “inauguração” em 30 de Outubro de 2015, obrigou ao seu encerramento e à realização de obras designadas como: “Requalificação do Pavilhão do Fontelo – Beneficiação Energética 2016”. Este remendo que se espera seja de boa qualidade, foi adjudicado por 47.605,10 Euros, a somar a pouco mais de 1 milhão de euros já investidos. A nova cobertura foi executada com painéis do tipo “sandwich” e fonte não identificada da autarquia revelou que também foi necessário “voltar a pintar o pavimento, que sofreu alguns danos devido à água que se acumulava”. Segundo a mesma notícia o presidente da câmara, Dr. Almeida Henriques “Sublinhou que serão apuradas responsabilidades” e lembrou que a obra foi lançada pelo anterior executivo. O processo arrastou-se de 2012 a 2015 e o orçamento foi aumentando até superar 1 milhão de euros, centenas de milhares de euros de acréscimos não foram devidamente discutidos por estar a findar o prazo para aproveitar fundos comunitários. 
Como as imagens mostram e a notícia não refere, a tela da face do pavilhão confinante com a Avenida José Relvas, representado troncos e ramos de árvores, destinada a permitir a "boa integração paisagística do pavilhão, no contexto da mancha verde do Fontelo", ou como dizem outros, esconder a feia estrutura construída em 1969 que no essencial se manteve, foi retirada e permite verificar que o “rei vai nu”. Segundo apurei a tela apesar de ser microperfurada não terá resistido aos ventos fortes e certamente será reposta em breve. Até agora gastou-se mais de 1 milhão de euros em remendos Façamos votos para que a solução encontrada, seja definitiva e a ventilação existente evite condensações, mas da próxima vez nas paredes que futuras repinturas poderão “remediar”.

Hudson Hill - “The Whiskey Hollow”


“The Whiskey Hollow” vídeo de Stephen Mlinarcik em “stop motion” para o “single” de estreia do álbum “X WATERS”, dos norte-americanos Hudson Hill

"2º Festival de Street Art de Viseu"



"Nomes confirmados para o 2º Festival de Street Art de Viseu que este ano cresce para reinterpretar as marcas da cidade e renovar paisagens!:
Facebook da Câmara Municipal de Viseu